capa-amareloO livro Media, Corrupção Política e Justiça (2016, Maripoza Azual), coordenado por Isabel Ferin Cunha e Estrela Serrano, representa o corolário de mais de 3 anos de trabalho no projeto “Corrupção Política no Media: uma perspetiva comparada”[1] financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. O livro é constituído por um conjunto de artigos académicos que refletem os resultados finais do projeto mencionado. A obra refere que as instituições do sistema judicial são aquelas que, nos processos de corrupção política, mais se encontram pressionadas pela mediatização, na medida em que, até muito recentemente, a Justiça mantinha distanciamento e autonomia face às lógicas dos media. Esta dinâmica tem implicado que o campo da Justiça somasse, à contínua e tradicional batalha travada pela independência face ao poder político, uma outra luta, a da autonomia face aos media. À medida que os casos de corrupção política, envolvendo figuras políticas, vão surgindo, assistimos a movimentos na Política e na Justiça no sentido de maximizar, ou minimizar, os danos referentes às suas áreas de intervenção. Os meios de comunicação ao desocultar aqueles acontecimentos tendem a enfatizar antagonismos, distanciando-se, simultaneamente, da Justiça e da Política, mas promovendo conteúdos dentro das suas lógicas, principalmente sublinhando conflitos, animosidades e competitividade entre instituições e atores.

[1] O projeto foi alojado no Centro de Investigação Media e Jornalismo

Aceda ao livro online aqui:

https://corrupcaopoliticacimj.files.wordpress.com/2016/09/media-corrupc3a7c3a3o-polc3adtica-e-justic3a7a.pdf

Anúncios